A FORÇA DO AMOR QUE GERA GENEROSIDADE

         

A Campanha ‘SOS Sertão Alagoano’, encabeçada por nossa Diocese de Palmeira dos Índios, foi um sucesso. Não somente os nossos diocesanos se empenharam nesta empreitada de socorrer os sertanejos em sua sede e fome, como tantas outras mãos e corações se uniram conosco. Pessoas que deram de si, demonstrando que a força do amor gera uma generosa solidariedade.

Sabemos da grave situação do nosso País, de como as famílias brasileiras estão com sérias dificuldades de se manterem dignamente. Entretanto, não se bastaram nas suas dificuldades, foram além, e, num gesto de partilha, fizeram valer aquilo que o Senhor nos ensina no Seu Evangelho: “Estive com fome e me destes de comer. Estive com sede e me destes de beber...” (Mt 25,35). Pessoas que assim agiram foram capazes de reconhecer Jesus no rosto do sofredor, ou na fisionomia do forte, fazendo justiça ao que dissera Euclides da Cunha, em sua obra “Os Sertões”: “O sertanejo é, entes de tudo, um forte”.

Com garrafas de água, carros pipa, cestas básicas e muito amor mais de 120 comunidades sertanejas foram contempladas com este gesto concreto de inspiração no Evangelho. Manifesto, como Pastor Diocesano, os meus profundos agradecimentos à Arquidiocese de Maceió e a Diocese de Penedo, que se uniram aos fiéis de nossa Igreja particular para esta ação conjunta, que não teve fronteiras; muito obrigado Dom Antônio Muniz Fernandes e Dom Valério Breda. Agradecendo-lhes, sou grato ao povo de bom coração desta minha Diocese de Palmeira dos Índios. Que Deus recompense também a Associação do Comércio Atacadista e Distribuidora do Estado de Alagoas – ACADEAL, que mobilizou os seus associados para formar esta imensa corrente de doadores. Sou grato a Distribuidora Cunha, empresa parceira, que muito nos ajudou, inclusive no transporte para a locomoção das doações até às comunidades beneficiadas, e ao Movimento dos Trabalhadores do Campo, MTC, tendo a frente o jovem Adriano Ferreira, que não mediu esforços com o seu espírito de amor-serviço.Aos voluntários da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios, especialmente Maria do Carmo Silva dos Santos, Rita de Assis Costa e ao Clero, nossos colaboradores diretos que não cederam do que tinham, mas do que são, renunciando o benfazejo do conforto para servir na altura do Bom Samaritano.

Enfim, invoco a retribuição do Deus Providente sobre todos os que formam esta ‘grande família do amor’, tal como se configurou esta Campanha. Só Deus, em Sua magnânima generosidade, poderá recompensá-los pela nobreza do gesto em graças e bênçãos celestes.

A todos o meu ‘Muito Obrigado’ e a minha bênção!


Dom Dulcênio Fontes de Matos
Bispo Diocesano de Palmeira dos Índios

Comentários

Postagens mais visitadas