SÃO SEBASTIÃO É CELEBRADO EM MONTEIRÓPOLIS

 


Que poderei retribuir ao Senhor Deus por tudo aquilo que Ele fez em meu favor? (Salmo 115)

Em um ano totalmente atípico a Paróquia de São Sebastião, em Monteirópolis, celebrou de 11 à 20 de Janeiro do corrente ano, seu padroeiro, o glorioso mártir São Sebastião. O novenário mostrou-se que as festividades do padroeiro não devem acontecer como mera rotina, mas como uma grande oportunidade de amadurecimento na fé, mudança de vida, e um verdadeiro retiro espiritual, celebrados durante as nove noites em preparação para a grande solenidade do Excelso Padroeiro.

Durante todo novenário, mesmo com a limitação de pessoas devido a pandemia, os fiéis se fizeram presentes nas Celebrações Eucarísticas que foram presididas por padres convidados da Diocese de Palmeira dos Índios, sendo eles: Pe. José da Silva, Pe. José Walter, Pe. Marcelo João, Pe. Adauto Alves, Pe. Thiago Henrique, Pe. Jacyel Soares, Pe. José Neto, Pe. José Edivaldo, Frei. Romário (natural da cidade de Olho D’agua das Flores), e o pároco Pe. Tácito José que concelebrou em todas as noites. Ao final de cada celebração com muita alegria e sempre tomando os devidos cuidados exigido pelas autoridades sanitárias, os fiéis se confraternizaram de forma externa, através dos festivais de prêmios  

No dia 20, às 17h, ocorreu na Igreja Matriz a Missa Solene celebrando o dia do excelso padroeiro São Sebastião, presidida pelo Padre Joelder Pinheiro, que em sua homilia afirmou: “O martírio deve ser compreendido mais que simplesmente morrer por Jesus, pois é sobretudo o testemunho cotidiano, é o caminho, um testemunho diário e apaixonado daquele que se encontrou com Jesus, encontrando nele o sentido da vida e por isso supera todas essas realidades transitórias e caminha olhando para o infinito, olhando para Deus. Se em Jesus o mártir encontra o sentindo da sua vida, se ele testemunha por conta desse encontro, então a morte não é uma tragédia, o mártir não é um suicida, a morte é uma irmã querida, uma grande amiga que faz com que aquele que se deixou fascinar por Jesus possa agora viver na vida com Ele. ”

Após a Santa Missa como já de costume, deu-se início a procissão, sendo dessa vez como forma de prevenção devido a pandemia, a mesma seguiu motorizada percorrendo pelas ruas de toda a cidade, encaminhando-se à Igreja matriz. Assim, o momento teve sua conclusão com a benção do Santíssimo Sacramento, onde os fiéis jubilosos e com o coração cheio de gratidão, louvaram e bendisseram o nome do Senhor Deus pela tamanha graça concedida em poder celebrar o dia do tão amado padroeiro e mártir São Sebastião.

PASCOM PAROQUIAL







Comentários