AUSÊNCIA DE FIEIS MARCA CELEBRAÇÃO DO TRÍDUO PASCAL NA CATEDRAL


A cada ano, o calendário litúrgico conduz os fieis à solenidade da Páscoa do Senhor, que é sempre precedida e iniciada com o Tríduo Pascal. Na Catedral Diocesana, todas as celebrações foram presididas pelo Bispo Diocesano, Dom Manoel Filho, e concelebradas pelo Pe. Wendel, Pároco, e Pe. Clebson, Vigário Paroquial.
Entretanto, tais celebrações foram vividas de maneira atípica, em virtude da pandemia do COVID-19. Como solução para retardar sua proliferação, o isolamento social fez com os fieis acompanhassem de suas casas pelas transmissões radiofônicas e pelo instagram da Diocese. A Catedral foi mantida de portas fechadas, os bancos vazios e os ritos sofreram readequações. Sem dúvida, um marco doloroso na história da nossa Diocese e de todo o mundo.
O Tríduo teve início na quinta-feira, 09 de abril, com a Celebração da Santa Missa na Ceia do Senhor que faz memória da instituição da Eucaristia e, por conseguinte, do novo sacerdócio da nova Aliança. Na Ação Litúrgica da Paixão do Senhor, sexta-feira, 10, os cristãos, mesmo em suas casas, foram convidados a ouvir a Palavra de Deus, particularmente o relato da Paixão, e a ter diante dos olhos a Cruz, manifestação do amor salvífico de Deus.
No Sábado Santo, 11, dia do grande silêncio, na Vigília Pascal, chamada de mãe de todas as vigílias, a luz do círio pascal marcou a esperança da irradiação da luz de Cristo, o Ressuscitado, nas sombras do mundo, nas dores do tempo presente, na história da humanidade. O Tríduo culminou no domingo, 12, Dia do Senhor, no qual Deus levou a termo seu projeto salvador e concedeu ao homem participar da sua glória.
Por fim, Dom Manoel fez ecoar a verdade vital para todos os cristãos, particularmente aos tristes, os desesperançados, quando disse: “Que Jesus Ressuscitado seja nossa razão de viver”. Louvemos a Deus por seu amor imenso, por não abandonar a obra de suas mãos.

PASCOM DIOCESANA









Comentários